quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Os palestinos decidirão Jerusalém, não Trump


Publicamos abaixo a recente declaração da FPLP acerca da nefanda iniciativa do governo de Donald Trump de considerar Jerusalém a capital da entidade sionista "Israel".

Nossa luta -e não Trump- decidirá o destino de Jerusalém

Frente Popular para a
Libertação da Palestina
06 de dezembro de 2017

A Frente Popular para a Libertação da Palestina considera a declaração do presidente estadunidense Donald Trump uma declaração de guerra contra o povo palestino e seus direitos, o que deixa claro o caráter dos Estados Unidos como uma entidade hostil ao nosso povo e parceira do Estado Sionista em seus crimes contra o povo e a terra palestinos, e portanto como inimigo deve ser tratado.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Solidariedade e apoio ao direito à moradia


Irineu "Yahia" Dourado

"Já existem conjuntos habitacionais suficientes nas metrópoles para remediar de imediato, por meio de sua utilização racional, toda real 'escassez de moradia'" (Friedrich Engels, "Sobre a Questão da Moradia (textos: 1872-1873)", Editora Boitempo, 2015).

Escritos há quase 150 anos, esses textos do revolucionário alemão sobre a questão da moradia nas cidades europeias no século XIX poderiam perfeitamente se encaixar ao município de São Bernardo do Campo localizado no Estado de São Paulo, cuja área de 406,2 Km² comporta aproximadamente uma população de 736.466 (2010), e cujo déficit habitacional é de 90 mil imóveis.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Se não formos fortes o racismo nos vence


Luciane Almeida

De todos os aspectos da luta de classes, a que eu mais me identifico é a luta contra o RACISMO.

É quase inacreditável que em pleno século XXI ainda existam pessoas que se achem "superiores" por causa da melanina presente na pele do próximo. Somos todos seres humanos! É tão difícil enxergar isso?

Nós vivemos hoje no Brasil (e eu acredito que é um fenômeno presente em muitos países) uma polarização de ideologias. Porque nós não conseguimos perceber que o nosso inimigo (o SISTEMA) é um só?

sábado, 21 de outubro de 2017

Não o fim, apenas um intervalo


Nota de esclarecimento
outubro de 2017

Em maio de 2016 o Espaço Marxista deu um salto de qualidade, deixando de ser apenas um blog para se tornar um coletivo, com membros e simpatizantes em vários lugares do Brasil. Ao longo desses meses buscamos nos inserir nos movimentos de massa, participando das lutas da classe trabalhadora onde possível. Atuamos junto dos trabalhadores portuários de Santos, dos profissionais da Educação do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul, apoiamos as greves dos doqueiros santistas, os comerciários do Rio de Janeiro, os radialistas de São Paulo etc. Estivemos nas manifestações de rua contra a PEC 241/ 55 (a "PEC do fim do mundo"), contra os pacotes de maldades dos governos de Pezão e Sartori no RJ e RS etc., dentre outras atividades.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Sobre separatismo e nacionalidades oprimidas


Resolução do Coletivo Espaço Marxista
outubro de 2017

1. Como diz Trotsky, "A luta resoluta do Partido Bolchevique pelo direito à autodeterminação das nacionalidades oprimidas pela Rússia facilitou muito a conquista do poder pelo proletariado" ("A Independência da Ucrânia e a Confusão Sectária", 1939), dado que o Partido sempre resistiu "com intransigência a quaisquer espécies de opressão nacional e, entre elas, a de reter pela força tal ou qual nacionalidade dentro dos limites de um Estado comum" ("A História da Revolução Russa", 1930). Com a vitória da revolução, o banimento da opressão das minorias nacionais ganhou status constitucional na nascente república soviética (artigo 2º, capítulo 5, 22, da Carta de 1918).

2. É questão de princípio defender a emancipação dos povos e seu direito à auto-determinação. Repudiamos a opressão das minorias nacionais, conforme a tradição bolchevique, sendo certo que a mera manutenção artificial de determinado povo sob a autoridade de outro já é, em si, uma situação de opressão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...