quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Todo apoio aos servidores municipais de Florianópolis!


O Espaço Marxista se junta à campanha de solidariedade ao Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis (SINTRASEM). Subscrevemos, assim, a moção de apoio proposta pela campanha, que vai abaixo, a qual divulgaremos amplamente em nossas redes sociais.

Ao Prefeito de Florianópolis, Gean Marques Loureiro,
Ao Procurador Geral da prefeitura de Florianópolis, Diogo Pítsica,
À Desembargadora do TJ-SC, Vera Lúcia Ferreira Copetti:

O Coletivo Espaço Marxista vem manifestar sua solidariedade com as exigências dos Servidores Municipais de Florianópolis, especialmente com a exigência de revogação do pacote de medidas aprovadas na Câmara de Vereadores a pedido do prefeito Gean Loureiro, que retiram direitos, cortam salários e destroem as aposentadorias. Nos dirigimos a cada uma das autoridades responsáveis pela situação criada pedindo-lhes que:

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Por uma frente única contra os ataques dos golpistas


Coletivo Espaço Marxista

O golpe avança a passos largos. Nos últimos dias o Brasil presenciou o óbito de Marisa Letícia, esposa do ex-presidente Lula, vitimada por um AVC que, sem a menor sombra de dúvidas, deve ser atribuído ao alto grau de stress causado pela perseguição dos inquisidores de Curitiba. Como se sabe, Moro et caterva, em sua cruzada reacionária contra o PT (e, indiretamente, contra o conjunto da esquerda e movimentos sociais), há tempos têm perseguido implacavelmente Lula e sua família, em um festival de arbitrariedades que envolve denúncias sem provas em processos criminais, grampos de conversas familiares com posterior vazamento para a imprensa e o infame sequestro do dirigente petista cometido pela Polícia Federal em 04 de março de 2016.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

A morte de Teori Zavascki é outro capítulo do golpe



Coletivo Espaço Marxista

Mal foi confirmada a morte de Teori Zavascki, no acidente aéreo que vitimou ainda outras quatro pessoas no dia 19 de janeiro em Paraty-RJ, a especulação sobre o nome de seu sucessor no Supremo Tribunal Federal correu solta, em meio a uma rede de intrigas, suspeitas e boatos que tomou conta da grande mídia e das redes sociais. Tanta celeuma tem razão de ser: Teori era o relator da Lava Jato no Supremo, e conforme o regimento da corte o ministro nomeado para sua vaga será seu substituto na relatoria. E como se sabe a indicação fica a cargo do presidente da República, no caso o golpista Michel Temer, citado inúmeras vezes na mesma Lava Jato.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A "Lava Jato" é só mais uma peça no bloco golpista


Coletivo Espaço Marxista

A "Operação Lava Jato" avança, com o apoio das oligarquias da grande mídia e arrancando aplausos dos coxinhas batedores de panelas. O motivo do entusiasmo é evidente, afinal está minando impiedosamente o PT, dando seguimento ao trabalho começado na AP 470 (o "Mensalão"), conduzida por Joaquim Barbosa, o outrora heroi nacional da revista Veja que como peça descartável foi jogado ao ostracismo tão logo cumpriu seu papel. A "Lava Jato" forneceu o substrato necessário que, despejado incessantemente pelo "jornalismo de guerra" das Organizações Globo et caterva, alimentou a sanha populista de direita que ajudou a implodir o governo de Dilma Rousseff, em um dos mais infames episódios da nossa já desmoralizada ordem constitucional de 1988.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Tarefas e desafios: que venha 2017!


Coletivo Espaço Marxista

O ano de 2016 foi marcado por uma sucessão de derrotas para os trabalhadores brasileiros. A destituição golpista do governo de Dilma Rousseff, além de debilitar as já desmoralizadas instituições democráticas burguesas, colocou no poder uma quadrilha da direita mais reacionária que está implantando com voracidade as contrarreformas neoliberais e desmantelamento o que resta das conquistas sociais da Constituição de 1988. Além disso, o bloco golpista (que engloba não apenas as máfias parlamentares, mas também o grande capital, as oligarquias da mídia e o aparato repressivo do Judiciário/ MPF) deu uma nova orientação às relações internacionais do país, buscando colocar o Brasil debaixo da tutela de Washington e implodir a multipolaridade mundial e a integração da América Latina. Por exemplo, o recente afastamento da Venezuela do Mercosul, arquitetado em conjunto pelos governos direitistas que tomaram a América do Sul -Temer no Brasil, Macri na Argentina- mostra essa nova inclinação reacionária, que, evidentemente, também trará prejuízos para os BRICS e para o desenvolvimento e preservação das empresas e riquezas nacionais.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...